Opinião em comum

*Jackson de Lima Neto – Presidente do STIA/AL

A indústria do etanol vive uma crise nacional e Alagoas não está fora desse processo. A presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar, Elizabeth Faria, fez dura críticas a presidente da República Dilma Rousseff; afirmando que a política econômica do atual governo é um dos fatores para crise ter se instado. O que é uma realidade nos últimos quatro anos.

Nas cinco safras mais recentes 44 usinas fecharam. Das usinas em atividade, 33 estão em recuperação judicial e 12 não vão moer este ano. Número esse que ainda pode aumentar. As políticas de controle de preço da gasolina da União e a redução da Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico foram prejudiciais para toda uma cadeia produtiva.

O setor que fatura mais de 45 milhões de dólares por ano, gerando emprego e renda para os brasileiros e alagoanos, pode estar fadado ao fracasso caso a União não invista na indústria do açúcar. Que o ano de 2015, que se aproxima, seja de mudanças no olhar da presidência da República em relação às políticas púbicas de incentivo ao etanol.

Nos que fazemos o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Açúcar no Estado de Alagoas estamos em pleno diálogo com as usinas e trabalhando em prol dos operários manterem e ampliarem seus direitos mesmo com toda dificuldade já narrada. Esse é nosso compromisso, essa é nossa luta!

 

SINDICATO DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA DO AÇÚCAR DO ESTADO DE ALAGOAS

Rua: Barão de Jaraguá, 520 - CEP 57002-140 | Fone: (82) 3321-0842 | Fax: (82) 3221-0772

    www.stia-alagoas.com.br

Home | Blog do Presidente | Diretoria | Direito dos Sindicalizados | Notícias | Sindicalize-se| Contato | Imprensa | Adm